Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grávida e sexy, só porque sim!

blogdabe.jpg

Inspirada em alguns blogues que ando a ler, como a da Sofia Serrano e das futuras mamãs Chic'AnaMamã Silvestre e Paula, e em jeito de provocação (vd.P.A), venho provar por A mais B que noivinhas grávidas podem ser lindas!! E sensuais!

E porque são cada vez mais as mulheres que decidem casar grávidas, há lojas especializadas apenas em vestidos de noiva para futuras mamãs, como esta e esta, em Portugal ainda não temos nada com essa dimensão, mas já são algumas as lojas com secções específicas para esse público, maioritariamente online, como esta!

Embaixo fiz uma seleção de noivinhas que provam que as grávidas ficam noivas fantásticas!

 

 

 

Já está quase!

bouquet | flores| casar | noiva

 

Faltam alguns dias para o casamento, já temos a quinta, o fotógrafo, o vestido, o fato, as damas de honor e até já confirmamos a viagem de lua-de-mel. Falta-nos tratar dos últimos promenores, como a escolha das músicas, a compra da mala para a viagem e a escolha do penteado, mas temos mantido a calma, não estamos ansiosos, temos feito tudo com tempo e só agora é que vou começar, efetivamente, a dedicar-me a essas últimas tarefas.

Os meus colegas de trabalho, no entanto, parecem estar em contagem decrescente para o MEU casamento. Um pormenor curioso é que são aqueles que nem sequer foram convidados!

É interessante como já não sou cumprimentada pelos colegas de trabalho com "olá, bom dia" ou "bom dia, tudo bem?", agora passam por mim no corredor ou apanham-me no elevador e a primeira coisa que dizem é "Então, já está quase" ou "Falta pouco!".

Naquele momento passam-me pela cabeça mil e quinhentos contextos em que aquele comentário faria sentido: será que está a dizer isso porque falta pouco para eu fazer anos? Talvez saiba que este fim de semana tenho a despedida de solteira! Ou talvez esteja a fazer referência à data de entrega do meu projeto de tese. Não, deve ter a ver com aquele relatório que tenho na minha secretária. Não, espera, é o casamento. Yes, é o casamento.

Para a outra pessoa passaram-se apenas 1-2 segundos, e aminha reação é: "ah, pois" [acompanhada de uma poker facer do tipo: e o que é que tens a ver com isso?].

Como é que toda a gente soube? Terei sido eu? Se calhar tenho dupla personalidade e o meu outro eu anda por aí a divulgar a minha vida pessoal para os colegas de trabalho. Ou se calhar estou mais focada nos preparativos do que pensei e estou constantemente a falar sobre o assunto...Who knows...

A dama de honor ideal existe?

dama de honra; dama de honor; vestido da dama

Os noivos têm sempre taaaantos pormenores para tratar, que uma ajudinha dos amigos e da família é sempre bem vinda. Apesar de ainda ser um conceito recente em Portugal, as damas de honor têm vindo a assumir um papel relevante no núcleo de apoio dos noivos e, particularmente, da noiva, acompanhando nos preparativos, gerindo a lista de convidados e fornecedores, ajudar na escolha do vestido e do penteado e uma série de outras tarefas que tiram de cima da noiva alguma pressão, proporcionando alguma calma e tranquilidade.


Mais do que amigas que surgem no início do cortejo, a abrir caminho a noiva, as damas de honor têm funções muito importantes: ajudar a noiva nos preparativos, acompanhá-la às provas, organizar a despedida de solteira, preparar aquele videozinho vergonhoso (mais divertido) sobre a vida dos noivos, e muitas outras coisas.
Verdade seja dita, nem todas estão disponíveis para ajudar e a noiva nem sempre sente-se confortável em pedir para fazerem algumas dessas coisas (é o meu caso!), mas na esperança de que hajam algumas damas de honor (e mesmo madrinhas) proativas, compilei um conjunto de funções que são, definitivamente, uma grande ajuda para a noiva, e fariam de qualquer amiga a dama de honor idela:
 
 
1. Acompanhar a noiva 
 
Acompanhar a noiva na prova do vestido, na prova da maquilhagem, na escolha do bouquet, nas reuniões com os fornecedores, ajudá-la a escolher a decoração, as músicas e todos os restantes pormenores imprescindíveis.
 
2. Organizar a despedida de solteira
 
Não deixes que a noiva trate da própria despedida de solteira sozinha e, se possível, não a deixes tratar de absolutamente nada, de forma a que seja surpreendida no dia.
Desde a reserva do restaurante até a contratação do dançarino, as damas de honor devem preparar tudo de acordo com as preferências da noiva. A ideia aqui é ser original, escolher os "acessórios" que a noiva irá usar nesse dia, preparar um jogo divertido, marcar uma experiência diferente para a noiva e as amigas (spa, passeio de tuctuc, viagem de barco, aula de dança, etc), uma sessão fotográfica ou até uma escapdinha de fim de semana para outra cidade ou país.
Organizar a despedida de solteira é algo que, para ser bem feito, e ir de encontro às preferências da noiva, dá trabalho, mas compensa, pela festa e pela feicidade da noiva!
 
3. Gerir as tarefas
 
Vão haver alturas em que a noiva vai estar em stress acerca do vestido (experimentar mais de 10 vestidos confunde a cabeça de qualquer pessoa!), ou vai estar com pouca paciência para lidar com as confirmações dos convidados, ou a lista de prendas, ou simplesmente liga o zen mode e esquece de tudo durante algumas semanas só para ter alguns momentos de descontração (guilty!) e perde prazos, reuniões e tarefas importantes que poderiam ter sido delegadas a alguém próximo, que conheça as preferências da noiva.
É importante que a dama de honor assuma algumas dessas responsabilidades e ajude a noiva a gerir os compromissos, as tarefas e as emoções...
 
 
4. Ajudar a noiva a esquecer a lista de tarefas
 
Tão importante como não fazer com que a noiva perca os compromissos marcados, é ajudá-la a não perder a cabeça! 
O casamento não é só um grande evento, mas é o (ou um dos) eventos mais importantes da vida dos noivos e, por isso, a pressão e a expetativa de que tudo saia perfeito pode dar cabo da sanidade mental da noiva. Por isso, toda a ajuda é útil, e uma pessoa de confiança,que forneça bons conselhos, apoio moral e paciência é imprescindível. E se oferecer um pack com massagens é ainda melhor!
 
5. Assumir as responsabilidades
 
Se achas que escolher a quinta, os músicos e o bolo é difícil, então não imaginas o que é coordenar com todas as outras damas de honor a mesma cor e modelo de vestidos...é uma verdadeira telenovela mexicana...existem amizades que não resistem a isso, acredita!
A noiva precisa que alguém assuma o controlo e que se responsabilize pelos pequenos detalhes, como a gestão dos fornecedores, da lista de convidados, da coordenação da cerimónia, enfim, de todas as tarefas prévias ao casamento e a timeline.
 
 
6. Estar preparada para por a "mão na massa"
 
Muitas noivas optam por assumirem algumas tarefas ao longo do casamento, pequenos projetos que, muita vezes, transformam-se em grandes! Seja com o objetivo de darem um toque pessoal ao evento ou apenas poupar alguns euros, a verdade é que é frequente as noivas recorrerem ao DIY ( Do it yourself/faz tu mesmo): convites, marcadores de mesa, lembranças para os convidados, saquinhos com pétalas/arroz, a própria maquilhagem ou a decoração da quinta, que são detalhes que exigem algum tempo, muito jeitinho e imensa paciência. Por isso, uma ajuda das damas de honra é preciosa.
 
 
7. Não reclames e respeita a escolha da noiva
 
Uma coisa muitas vezes esquecida pelas amigas e família da noiva que são convidadas a ajudar na organização ou oferecem ajuda é esta: o casamento é dos noivos e, portanto, A DECISÃO FINAL É SEMPRE DOS NOIVOS.
Acredita, vai haver sempre alguém que não vai gostar do vestido da noiva, ou que não se vai identificar com as cores escolhidas, ou o tema , ou até os pratos, mas a escolha deverá ser feita pelos noivos, e se a dama de honra (ou mesmo a mãe ou madrinha) não concordam com essa escolha então o melhor que têm a fazer é respeitar a decisão dos noivos, apenas opinar quando é pedido, e ajudar da melhor forma que puder.

Casamento Civil - burocracias

conservatória de registo civil, validade, regime de bens, burocracia

Eu e o noivo vamos casar no Porto, mas como moramos em Lisboa demos início ao processo de casamento na Conservatória de Registo Civil de Lisboa, que será, posteriormente, transferido para a Conservatória que escolhemos. Como não sabíamos muito bem o que era preciso fazer e ninguém nos conseguia explicar em pormenor, acho importante terem uma ideia do passo-a-passo dessa parte mais burocrática do casamento.

 
O primeiro passo é irem à Conservatória, e para esse dia é essencial:
 
1. A presença dos noivos (apesar de haver a possibilidade de casarem por procuração);
2. O cartão de cidadão, válido, dos noivos;
3. O quantia de 120€, de emolumento;
4. Decidirem se vão ou não alterar o último nome;
5. Decidirem se querem casar em regime de separação de bens, comunhão de bens ou comunhão de adquiridos (é o regime-regra).
 

casamento civil, conservatória, regime de bens

Alterar ou não o nome

 
Os noivos podem escolher alterar ou manter o mesmo nome, e essa opção não é só da mulher, também o homem poderá fazê-lo. Caso o façam, podem acrescentar até dois apelidos, que poderá consta no final do nome ou intercalado nos próprios apelidos. Na Conservatória fomos informados que essa informação deverá ser dada no momento da cerimónia civil (mas poderá ser feito mais tarde, através de um requerimento dirigido à Conservatória).
 
A escolha do regime de bens
 
Caso nada digam, o regime de bens será o de comunhão de adquiridos, quer isso dizer que tudo o que é adquirido depois do casamento pertence aos dois.
Se decidirem optar pela comunhão geral de bens (todos os bens são partilhados, quer os adquiridos antes do casamento quer os que foram adquiridos depois) ou pela separação total de bens (tanto os bens adquiridos antes como aqueles que foram adquiridos depois do casamento são daquele que os adquiriu) irão ser encaminhados para o conservador que fará uma Convenção Antenupcial e informará o casal das implicações da adoção desse regime de bens.
Além disso, acresce aqueles 120€ mais 100€.
Se quiserem saber mais sobre este assunto digam nos comentários que explico em pormenor cada um dos regimes.
 

noivos, casamento civil, conjuges, aliança

Casamento heterossexual e homossexual

 
Desde 2010 que a legislação portuguesa passou a permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, sendo aplicado exatamente o mesmo regime jurídico para casamento entre pessoas de sexo diferentes.
 

Validade

O processo de casamento, a partir do momento que assinam os documentos na Conservatória, tem a validade de 6 meses. Caso a cerimónia civil seja na Quinta, não recomendo deixarem para tratar desse assunto muito em cima da data da cerimónia, principalmente caso casem na época altura (de maio à setembro), porque correm o risco de não terem funcionários da Conservatória disponíveis para irem ao local (nesse caso, têm também que pagar a deslocação do funcionário da Conservatória até a Quinta).
 
Podem sempre consultar mais informações no site do Instituto dos Registo e do Notariado.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.